Bitcoin price: good chances of a new all-time high

The Bitcoin price continued to increase significantly over the Christmas holidays and has since shot up by 25 percentage points. A new all-time high is not unlikely. This bullish development also caused the market dominance of the key currency to rise to a new high for the year of 72.01 crypto key currency.

After the BTC price generated a new all-time high in the previous week and peaked at USD 24,298, investors took advantage of the bullish momentum in the market and rose to a new all-time high above USD 28,000 yesterday, Sunday, December 27th . Starting from this price level, the first profit-taking began, which allowed The News Spy to consolidate to currently USD 26,715. After this tremendous price increase, the reserve currency is currently catching some air and reducing its overbought condition. The course correction towards USD 20,000 mentioned in the previous week’s analysis has not yet materialized. Instead, a new future gap formed, which is only closed with a price correction up to USD 23,710.

Bullish scenario (Bitcoin price)

The price development of the key currency Bitcoin can still be viewed as very bullish. Although the BTC rate corrected its new all-time high by around 6 percentage points in the last 24 hours to currently USD 26,727, it would therefore be presumptuous to speak of a reversal. As long as the BTC price is trading above USD 24,298 and preferably north of the previous day’s low at USD 25,752, the chances of another attack in the direction of the all-time high are quite good. If the bulls manage to break this chart mark upwards, the next important price target in the area of ​​the 161 Fibonacci extension from the monthly chart at USD 29,748 moves into the focus of investors.

At this chart mark, renewed profit-taking is to be expected. If the bulls manage to let the rate of the key currency rise above 30,000 USD in the coming trading days, a march through to the maximum price target for 2020 at 35,075 USD is also conceivable. This is where the 361 Fibonacci extension of the current upward movement runs. If the demand for Bitcoins continues unabated at the beginning of the coming year, a continuation of the bullish price rally towards USD 40,407 and a maximum of USD 43,703 cannot be ruled out either. As long as the BTC rate does not correct back below USD 22,000 and a maximum of USD 19,884, the chances of a price increase beyond USD 30,000 are good.

Bearish scenario (Bitcoin rate)

The bears are currently unable to get a foot on the ground. Any efforts by the sellers to correct the price of Bitcoin back towards USD 20,000 have so far failed. Although the BTC rate corrected more than 7 percentage points to USD 22,600 within one hour of trading on December 23, it was able to avert a break in support at USD 22,000. From this level, the BTC price shot north again, increasing in value by more than 20 percent.

Only when the sellers manage to dynamically push the BTC rate below the previous day’s rise at USD 25,752 does the probability of the consolidation expand to the breakout level at USD 24,298 increases. If this support can also be undercut by the daily closing price and the BTC price slips back below the key support at USD 23,887, a price drop to the EMA20 (red) at USD 22,973 should be planned. This would initially close the new gap in the futures rate at USD 23,710.

Como o uso de Bitcoin na África continuou a crescer em 2020

A África provou ser um foco de adoção para a Bitcoin em 2020. Mas o que alimentou este crescimento? E como será no próximo ano?
2020 foi inesquecível, especialmente para a Bitcoin. Para ajudar a memorizar este ano para nossos leitores, pedimos a nossa rede de colaboradores para refletir sobre a ação de preços da Bitcoin, desenvolvimento tecnológico, crescimento da comunidade e muito mais em 2020, e para refletir sobre o que tudo isso poderia significar para 2021. Estes escritores responderam com uma coleção de artigos atenciosos e provocadores de reflexão. Clique aqui para ler todas as histórias de nossa série Fim do Ano 2020.

A mudança para a adoção do bitcoin e outras moedas criptográficas na África não decolou até 2014. Foi quando as trocas e transações de Bitcoin começaram, com a adoção liderada pela Nigéria. Desde então, o número de usuários de bitcoin e transações feitas em bitcoin e outras moedas criptográficas explodiu.

Em nenhum momento da história o uso de Bitcoin na África foi tão freqüente como hoje. A bitcoin prosperou na África, e 2020 foi um ano de expansão para a bitcoin no continente. Mas de onde exatamente a África vinha antes desta onda e para onde se dirige em 2021 e mais além no que diz respeito ao uso e adoção da Bitcoin?

A resposta dos governos africanos ao Bitcoin
No que diz respeito à tecnologia, a África não tem sido o centro de inovação do mundo. A África tem geralmente tendido a uma lenta adaptação às mudanças e adoção de novas tecnologias. Uma vez que a adoção se instala, porém, tende a explodir e superar o uso das mesmas tecnologias em outros climas.

Entretanto, os governos na África têm sido tradicionalmente apáticos em relação às novas tecnologias. Eles tendem a ficar para trás no aproveitamento de seu potencial e geralmente deixam o desenvolvimento do ecossistema para essas tecnologias emergentes para a população.

Esta tem sido a história do Bitcoin e das moedas criptográficas na África, pois os governos do continente têm sido muito lentos em compreender ou aproveitar o potencial da tecnologia de livro-razão distribuído. De fato, alguns governos africanos tendem a ver as tecnologias emergentes com desconfiança. Esse tem sido o caso da Bitcoin.

Podemos ver também um padrão semelhante sendo usado pelos governos africanos em casos de comércio forex, que é basicamente regulado apenas na África do Sul pela Financial Sector Conduct Authority (FSCA) e recentemente no Quênia pela Capital Markets Authority (CMA). Nenhum outro país africano demonstrou qualquer interesse significativo em regular este campo de negócios, apesar de seu contínuo crescimento em todos os países africanos.

Muitos bancos centrais emitiram avisos sobre o uso de bitcoin e outras moedas criptográficas, mesmo quando nenhuma lei ou regulamentação expressa está proibindo seu uso nesses países. Talvez seja este o caso; sem direção centralizada, a população africana está agora impulsionando o uso descentralizado de bitcoin e outros produtos baseados em cadeias de bloqueios.

O que impulsiona a adoção e o uso de bitcoin na África?

Talvez a principal razão para o uso pesado do Bitcoin no continente seja a necessidade de alimentar transações fora do sistema bancário tradicional. As leis bancárias na África tendem a ser elitistas, restritivas e não contribuem para a participação efetiva da população em geral. É por isso que muitos países africanos têm grandes populações não bancárias, o que fez com que os sistemas de pagamento móvel e muitos aplicativos fintech que visam impulsionar sucessos de inclusão financeira fugissem.

O acesso ao câmbio para comércio exterior e transações internacionais é outro fator que tem impulsionado o uso do Bitcoin pelo teto. Em países como a Nigéria e a África do Sul, onde existem controles rigorosos sobre o movimento de divisas através do sistema bancário, os envolvidos no comércio internacional estão agora se voltando para a Bitcoin para facilitar seus negócios transfronteiriços.

Em 2020, a Nigéria foi confrontada com uma severa escassez de divisas estrangeiras e foi forçada a limitar as transações internacionais feitas em terminais de ponto de venda e caixas eletrônicos fora do país utilizando os cartões ATM locais a um limite mensal de US$ 100. Os importadores de pequena escala que normalmente fazem compras em Alibaba e outros locais de comércio não tinham outra opção a não ser procurar meios alternativos de fazer negócios. O Bitcoin era uma alternativa pronta, aceita tanto pelo comprador quanto pelo fornecedor.

Também se pode dizer que a África está à margem do sistema financeiro global. O acesso completo aos sistemas internacionais de pagamento on-line, como o PayPal, é restrito. A África do Sul é o único país africano onde os usuários podem pagar e receber pagamentos através do PayPal. Esta situação tem impulsionado a necessidade do desenvolvimento de sistemas de pagamento alternativos. Por um erro de projeto, um meio de pagamento globalmente aceito, como o Bitcoin, que pode ser convertido em fiat em muitos países, entrou em cena para preencher esta lacuna.

Uso e Adoção de Bitcoin na África em 2020
A propriedade, uso e volume de comércio de bitcoin e outras criptos viu um enorme aumento na África em 2020. A Nigéria, a África do Sul e o Quênia lideraram a carga a este respeito e figuram entre os dez primeiros países onde as buscas do Google sobre criptografia são mais elevadas.

Na Nigéria, a maior parte do uso anterior do Bitcoin foi dominada por pequenos comerciantes de pequena escala, de P2P (peer-to-peer), que procuravam comprar e vender bitcoin para outras moedas criptográficas e moedas „fiat“ usando trocas baseadas em escrow ou modos de transação cara a cara. O ano de 2020 trouxe uma evolução da situação. Comerciantes internacionais, importadores e exportadores que procuram contornar os controles cambiais do Banco Central da Nigéria encontraram o bitcoin como uma alternativa adequada.

Os avanços do Quênia nos sistemas de pagamento móvel lhe deram uma vantagem sobre outros países africanos em termos de utilização de sistemas alternativos de pagamento para transações de comércio eletrônico. A chegada da Bitcoin fez com que o Quênia aumentasse essa vantagem. Um relatório da BBC indicou que a aceitação de moedas criptográficas para pagamentos comerciais no Quênia tem aumentado. De acordo com dados da Paxful, o volume de transações de moedas criptográficas em seu câmbio do Quênia cresceu 400% em comparação com o mesmo período do ano passado. Reconhecendo o potencial do mercado de moedas criptográficas do Quênia, as autoridades fiscais do país introduziram um imposto digital para aumentar a receita do governo.

Rich Dad Poor Dad author explains why bitcoin will see $50,000 next year

According to Robert Kiyosaki, author of the best-selling „Rich Dad Poor Dad,“ Bitcoin is headed toward $50,000 in 2021

The price of Bitcoin (BTC) will reach $50,000 in 2021, says best-selling author Rich Dad Poor Dad, Robert Kiyosaki.

Kiyosaki reported that an „institutional wall of money“ will come into Bitcoin in 2021, potentially pushing the price even higher.

Why does Kiyosaki talk about institutional interest in Bitcoin?

In addition to being a writer, Kiyosaki is a real estate mogul and precious metals investor. He has historically favored various value stocks, including silver.

Based on institutional inflows into Bitcoin, Kiyosaki explained that BTC below $20,000 is ideal, as the next target is at $50,000:

„I’m happy to have bought Bitcoin. Next stop $50,000. A lot of institutional money will come in 2021. Buy below $20,000. If you missed Bitcoin, buy silver. Silver is poised to move because of AOC’s Green New Deal. America is in trouble. The future is bright for gold, silver, Bitcoin and entrepreneurs.“

If Bitcoin reaches $50,000, its market cap will correspond to $928 million, or about 10.3% of that of gold. Bitcoin Loophole is well positioned for a rally in the coming months due to its low correlation with the stock market.

Often, traditional safe-haven assets, such as gold, pull back when U.S. stocks plot upticks. In the case of BTC, the correlation with U.S. stocks is relatively low: the cryptocurrency has therefore experienced strong bullish trends even as the value of stocks has risen.

For example, in the last 24 hours the price of Bitcoin has increased by about 4.5%, touching a gain of 6.5% at the daily peak.

BTC’s movement occurred in parallel with that of gold, as Asian markets plummeted and U.S. stocks tracked a slight retreat. Holger Zschaepitz, market analyst at Welt, commented:

„Asian equities saw a correction along with European and U.S. futures after a mixed session on Wall Street, characterized by caution on economic risks related to anti-virus measures and ongoing fiscal stimulus negotiations in the U.S. US 10-year bond yields are below 0.9%. The dollar is stable with the euro at 1.2153. Gold rises to $1839. #Bitcoin at $19,100.“

The lack of correlation between Bitcoin and U.S. stocks is likely due to two factors. First, when risk assets go up, BTC benefits from overall growth in investor interest.

Second, stocks have risen in recent months due to unprecedented liquidity injections from the central bank. Relaxed financial conditions benefit Bitcoin as investors resort to hedging against inflation.

Trading activity on the CME and Grayscale continues to grow.

Open interest in the CME’s Bitcoin futures market hovers around $1.07 billion, not far behind OKEx and Binance Futures.

The data shows that institutional demand for Bitcoin is so high that platforms focused on these participants are outpacing major retail exchanges in terms of open interest and trading volume.

Additionally, Grayscale surpassed $13 billion in assets under management on December 15, indicating a large increase in institutional inflows into Bitcoin.

„Record AUM for Grayscale – $13 billion.“

It appears that institutions are rapidly accumulating Bitcoin as a result of investments touted by high-profile figures such as MicroStrategy, Square and MassMutual. The result, as reported by Cointelegraph, is aggressive buying pressure in both futures and options markets.

Grayscale vê um novo grupo de investidores do Ethereum-First

Embora o bitcoin tenha sido a primeira parada para a maioria dos investidores antes deste ano, um número crescente de pessoas está prestando atenção ao Ethereum por direito próprio em 2020, disse Michael Sonnenshein, diretor administrativo da Grayscale Investments LLC.

„Ao longo de 2020, estamos vendo um novo grupo de investidores que são Ethereum-first e, em alguns casos, apenas Ethereum“, disse Sonnenshein em uma entrevista com a Bloomberg. „Há uma convicção crescente em torno do Ethereum como uma classe de ativos“. Grayscale é propriedade da empresa matriz da CoinDesk, Digital Currency Group.

A DeFi deu um impulso significativo ao Ethereum

A DeFi deu um impulso significativo ao Ethereum desde este verão e a cadeia de bloqueio deu início a sua jornada para o Eth 2.0 após o lançamento de sua cadeia de sinalização no início deste mês.

„O desenvolvimento da classe de ativos continuou a se solidificar“, disse Sonnenshein. „O Ethereum tem na mesma linha do poder que o bitcoin tem“.

Tem havido uma ampla gama de opiniões sobre se a moeda nativa do Ethereum, o éter (ETH), se tornaria um concorrente ainda mais controverso do bitcoin como uma classe de ativos.

„Para investidores institucionais, eles estão comprando bitcoin para a narrativa do ouro digital“, disse Ryan Watkins, analista sênior de pesquisa da Messari, anteriormente à CoinDesk. „O éter simplesmente ainda não está nessa conversa“.

Em uma entrevista anterior com a CoinDesk

O éter „se beneficia do transbordamento e provavelmente tem mais conversas em torno dele dos cripto-nativos“, disse Vishal Shah, fundador da bolsa de derivativos Alpha5, em uma entrevista anterior com a CoinDesk. „Para os não iniciados, [é] difícil ver como o bitcoin não é o único na rampa“.

Se o Ethereum conseguir mais atenção dos investidores como uma classe de ativos, será por razões muito diferentes. A cadeia de bloqueio se esforça para ser o „computador mundial“ que fornece um ecossistema inclusivo para aplicações descentralizadas, enquanto o bitcoin tem sido tratado como uma classe de ativos emergente.

„Sempre achei que este espaço de ativos digitais é enorme – e não é apenas bitcoin – porque haverá aplicações diferentes para coisas diferentes“, disse Raoul Pal, CEO e co-fundador do grupo de mídia financeira Real Vision, em seu recente documentário. „Eu penso nos dois [bitcoin e ether] como tendo uma alocação de ativos combinados muito agradável“.